Esclerose lenticular em gatos (EL)

O sinal clínico encontrado no gato idoso portador desse fenômeno é basicamente a opacidade do olho, que varia de branco a cinza azulado.

por George Augusto — publicado 16 mar 2015 - 18:41

A esclerose lenticular, ou também conhecida por esclerose nuclear, é um fenômeno oftalmológico que ocorre em  gatos, principalmente na fase sênior (idosa), porém não há predisposição entre machos e fêmeas. Quando o felino é acometido pela esclerose lenticular, seus olhos apresentam um aspecto turvo, com uma coloração esbranquiçada. Não necessariamente o animal perde a visão quando portador, entretanto, em casos mais graves, pode haver perda parcial ou total da capacidade de enxergar. Muitos tutores confundem a esclerose com a catarata, porém não há nenhuma ligação entre os dois fenômenos, ou seja, o animal portador da EL pode ou não desenvolver a catarata.

Foto: Reprodução

Foto: Reprodução

Quando um felino chega na faixa etária entre 9 a 12 anos, é o momento em  que o tutor deve prestar bem atenção nos olhos do seu pet. É a partir dessa idade que começam a se apresentar os primeiros sintomas da EL. É importante ressaltar, que os sinais clínicos podem aparecer antes ou depois da idade convencional.

Em relação à causa da Esclerose lenticular, não existe uma origem definida. Contudo, estudiosos afirmam que a esclerose lenticular em gatos pode estar relacionada com o endurecimento da lente dos olhos, fazendo com que ocorra a mudança de coloração do olho, apresentando um  aspecto turvo.

O sinal clínico encontrado no gato idoso portador desse fenômeno é basicamente a opacidade do olho, que varia de branco a cinza azulado. Como dito anteriormente, normalmente não há alteração na acuidade visual do animal, ou seja, não afeta a visão nítida das coisas. Existem animais que apresentam a EL em apenas um dos olhos, porém, na maioria dos casos, são encontrados em ambos os olhos. A Esclerose lenticular pode ser facilmente confundida com a Catarata, pois isso é indispensável a avaliação por um médico veterinário. Felinos que apresentam inflamação, dor nos olhos, pus e perda total da visão, por exemplo, podem ser portadores de outras doenças oftalmológicas, que não seja a EL.

O diagnóstico da esclerose lenticular em gatos deve ser feito por um profissional de sua confiança, porém o mais indicado é o oftalmologista veterinário. Através da anamnese e do exame clínico dos olhos, feito de forma minuciosa, é possível descartar a hipótese de ser uma catarata. Não permita que pessoas leigas façam o diagnóstico. Somente um profissional médico veterinário poderá dar um diagnóstico preciso e confiável.

Ao contrário da catarata, não há tratamento atualmente para a esclerose lenticular em felinos. Esse fenômeno é normalmente estético, não afetando o dia a dia do gato. Muitos tutores querem que o animal volte a ter os olhos esteticamente normais, porém nem sempre é possível. A funcionalidade dos olhos continua perfeita, no entanto se houver perda da visão por conta de uma suposta catarata é necessário a intervenção cirúrgica imediata.

Qualquer anormalidade na coloração dos olhos do felino é um importante indicativo para que se peça a opinião de um médico veterinário. Animais portadores de qualquer fenômeno oftálmico anormal devem ser mantidos preferencialmente dentro de casa, pois os passeios noturnos podem se transformar em risco à vida do seu pet.

 

Por: George Augusto von Schmalz Portella de Macedo

Ocupação: Acadêmico de Medicina Veterinária

Contato: [email protected]

deixe seu comentário: