Fratura Pélvica em gatos

O prognostico vai depender de quanto tempo o pet ficou com a fratura e até mesmo dos órgãos que foram acometidos no momento do trauma.

por Samantha Kelly — publicado 10 ago 2015 - 17:23

Foto: Reprodução

Foto: Reprodução

Uma das fraturas mais comuns em gatos é a fratura pélvica, ou também conhecida popularmente como fratura de bacia. Os felinos preferem andar e caçar durante a noite, pois são animais noturnos. Por esse motivo, eles são mais susceptíveis a algumas agressões por marginais ou até mesmo atropelamentos. Não pense que os gatos são animais extremamente resistentes, pois ao contrário do que muitos pensam, eles são muito frágeis e de recuperação lenta.

As principais causas da fratura em bacia em gatos, como dito anteriormente, é devida principalmente a atropelamentos. Existem outros fatores bastante comuns também que causam esse dano ao pet, tais como: Mordedura de cães, agressões por marginais (pedra, pau, chute e etc), cair de uma altura significativa (muros altos, prédios e telhados).

Muitas pessoas encontram gatinhos na rua sem conseguir andar e tentam ajudar, porém não tem ideia do que eles possam ter. Através dos sinais clínicos que o pet apresenta, a pessoa deve procurar ter uma conduta para que possa oferecer uma boa segurança, tanto para pessoa quanto para o animal, até o momento de chegar a uma clínica veterinária.

Quando um gato sofre uma fratura pélvica ele pode apresentar os seguintes sinais clínicos: O animal fica prostrado, deitado lateralmente no chão e não movimentam as patas traseiras, apenas as patas da frente; Quando é tocado na região das patas posteriores tendem a querer arranhar e morder, além de demonstrar um miado alongado; No momento que é carregado pode urinar devido a dor, porém alguns animais podem parar de urinar e até defecar; Alguns animais podem se tornar inapetentes, porém geralmente continuam se alimentando de forma normal.

É importante que se o gato apresentar sinais clínicos parecidos com os citados, seja levado imediatamente para uma clínica. Não tente tratar em casa, pois isso agravará ainda mais o quadro do animal.

O diagnóstico é feito primeiramente através de uma anamnese e um exame clínico minucioso. Quando o médico veterinário suspeitar de uma fratura de origem pélvica, o mesmo solicitará imagens de Raio-X, afim de verificar possível fratura no osso do animal. Em alguns casos, o profissional poderá pedir um exame de ultrassom, para verificar se houve rompimento de algum órgão interno no momento do trauma.

O tratamento mais indicado é a internação do paciente e em seguida uma intevenção cirúrgica. Caso a fratura pélvica do animal não seja muito significativa, alguns profissionais optam pela imobilização local. A terapia medicamentosa também é indicada para que o animal tenha uma recuperação mais rápida e eficaz. Não se deve passar nenhum medicamento sem o consentimento do médico veterinário, pois isso pode piorar o quadro.

O prognostico vai depender de quanto tempo o pet ficou com a fratura e até mesmo dos órgãos que foram acometidos no momento do trauma. Isso vai depender de paciente para paciente, mas de uma forma geral, é de bom prognóstico. Para tutores que desejam reproduzir, o parto normal não é indicado na fêmea que já tenha sofrido uma fratura pélvica, apenas a cesariana.

 

Por: George Augusto von Schmalz Portella de Macedo

Ocupação: Acadêmico de Medicina Veterinária

Contato: [email protected]

deixe seu comentário: