Hipertireoidismo em gatos

Essa doença é bastante comum em gatos, afetando principalmente animais com mais idade, variando entre 5 a 20 anos de idade.

por Samantha Kelly — publicado 2 abr 2015 - 15:25

O hipertireoidismo é uma doença de origem endócrina, ou seja, é relacionada à secreção irregular de hormônio pela glândula tireóide. No corpo do animal, assim como no dos seres humanos, existem várias glândulas que produzem e liberam hormônios para a corrente sanguínea, para desempenhar inúmeras funções. Quando falamos em hipertireoidismo, estamos afirmando que está ocorrendo uma hiperfunção da glândula tireóide, ou seja, ela está trabalhando de forma mais acelerada, consequentemente, secretando uma quantidade exagerada de hormônios para a corrente sanguínea. A tireóide , através dos seus hormônios, tem a função de regular o metabolismo do animal, por isso quando a glândula libera hormônios em demasia, aumenta exageradamente o metabolismo do pet, levando a uma grande perda de peso.

Essa doença é bastante comum em gatos, afetando principalmente animais com mais idade, variando entre 5 a 20 anos de idade. Existem casos em filhotes, porém são extremamente raros.

As causas para o aparecimento do hipertireoidismo ainda são duvidosas, no entanto existem alguns fatores que podem desencadear a hiperfunção da glândula tireóide, tais como: A inflamação da glândula tireóide (tireoidite), Tumores na tireóide, Ingestão excessiva de iodo, entre vários outros fatores. Só quem poderá determinar a causa do hipertireoidismo no gato é o médico veterinário.

Foto: Reprodução

Foto: Reprodução

Os sinais clínicos que um animal com hipertireoidismo pode apresentar são muitos, e na maioria das vezes, assemelhando-se com várias outras doenças distintas. Por conta de haver um grande aumento no metabolismo do gato, outros órgãos acabam sendo afetados, por isso os sinais clínicos podem variar dependendo do órgão afetado. As principais sintomatologias que um gato pode apresentar, são: Perda severa de peso; Aumento do apetite; Diarréias, Vômitos; Hiperatividade; Aumento na ingestão de água e etc. Pode ou não haver alteração em outros órgãos, como: Coração, Rins, Fígado, dentre outros.

A endocrinologia é uma área bastante complexa, tanto dentro da medicina humana quanto na medicina veterinária, por isso é necessário que o animal seja avaliado por um médico veterinário especialista em endocrinologia. O diagnóstico é feito primeiramente pela anamnese, onde o tutor irá passar o histórico do animal. Em seguida, é feito o exame clínico pelo profissional habilitado, onde ele irá excluir outras doenças, e proceder a tentativa de palpar a glândula a fim de encontrar algum aumento na mesma. Exames laboratoriais são obrigatórios para fechar o diagnóstico, verificando se há ou não o excesso do hormônio na corrente sanguínea.

O tratamento deve ser feito de acordo com o quadro de cada animal. Normalmente, o médico veterinário pode escolher duas linhas de tratamento, sendo a terapia medicamentosa ou a remoção cirúrgica da tireóide, conhecida na medicina como: Tireoidectomia. O prognóstico é muito bom, quando tratado no início, é claro.

A prevenção é muito importante para o hipertireoidismo em gatos. O tutor sempre deve observar no ganho de peso do animal, na quantidade de alimento que ingere, o comportamento do felino e etc. Apresentando-se qualquer situação anormal, o pet deve ser levado ao médico veterinário para avaliações.

 

Por: George Augusto von Schmalz Portella de Macedo

Ocupação: Acadêmico de Medicina Veterinária

Contato: [email protected]

deixe seu comentário: