Intoxicação em gatos

Ao contrário do que muitas pessoas pensam, a intoxicação não é causada só por venenos, podendo ser causada por inúmeros fatores.

por George Augusto — publicado 17 ago 2015 - 18:19

A intoxicação é um quadro clínico bastante comum de ser encontrado na prática veterinária, porém os gatos são campeões nessa situação. Ao contrário do que muitas pessoas pensam, a intoxicação não é causada só por venenos, podendo ser causada por inúmeros fatores. Antes de começarmos a falar sobre a intoxicação, é importante diferenciar o envenenamento da intoxicação. Em suma, o termo intoxicação é utilizado para agentes tóxicos, mesmo que popularmente seja chamado de veneno, tais como: Veneno de rato, veneno de planta, certas fumaças e etc. Já o veneno, é utilizado mais para animais.  Quando um gato é picado por uma cobra, é classificado como envenenamento, e não intoxicação.

Foto: Reprodução

Foto: Reprodução

Quando falamos em gatos, muitas vezes fica difícil saber a causa primária da intoxicação, visto que os felinos vivem soltos à noite, sendo assim expostos a diversos agentes nocivos. Na maioria dos casos, os gatos chegam bem debilitados à clínica devido à ingestão de pesticidas. Os gatos são animais muito seletivos, no entanto, podem ser intoxicados por uma simples ingestão de um rato que consumiu um raticida. Outro fator também é o uso de medicamentos em altas doses. Os gatos são muito sensíveis, e rapidamente podem entrar num quadro de intoxicação. A intoxicação por plantas em gatos é rara, sendo mais comum em cães.

Os sinais clínicos que um gato intoxicado apresenta podem ser de fácil percepção por parte do tutor, porém jamais faça o diagnóstico sem a avaliação do médico veterinário. Existem doenças que apresentam sintomatologia parecida, mesmo não se tratando de uma intoxicação. Os principais sinais clínicos que um gato intoxicado apresenta, são: O animal apresenta uma apatia repentina, aparenta estar triste; Para de ingerir líquido e alimentação, por mais atraente que seja; O gato apresentará midríase (dilatação da pupila); Vômitos persistentes; Diarréia, podendo ou não apresentar sangue; Salivação excessiva.

O quadro de intoxicação tem uma evolução muito rápida, por isso, se não tratada a tempo, o animal pode chegar rapidamente a óbito.

O diagnóstico, como explicado acima, deve ser feito unicamente por um médico veterinário. Não faça diagnósticos por conta própria, isso pode piorar ainda mais o quadro em que o gato se encontra. O médico veterinário fará uma anamnese e um exame minucioso no animal, a fim de descartar qualquer outra causa que apresenta sinais clínicos semelhantes.

O tratamento é feito através de uma terapia medicamentosa intensa. Normalmente, os gatos são internados na clínica para que seu quadro seja estabilizado. O índice de mortalidade é muito alto, visto que muitos tutores tentam primeiro tratar em casa, e só quando percebem a piora é que levam o animal à uma clínica. Nesse ponto, dependendo da causa da intoxicação, o animal já chega em choque e com hemorragias. O prognóstico nesse caso não é favorável ao animal.

A prevenção consiste em evitar que os gatos fiquem soltos na rua. Isso evitará que eles entrem em contato com diferentes tipos de agentes tóxicos. O uso de medicamento também deve obedecer a receita médica. Não se devem usar remédios sem a prescrição do médico veterinário. Existem remédios que são altamente tóxicos para os felinos, independentemente da dosagem.

 

Por: George Augusto von Schmalz Portella de Macedo

Ocupação: Acadêmico de Medicina Veterinária

Contato: [email protected]

deixe seu comentário: